Celular importado: Dicas especiais para fazer uma boa compra

Está querendo trocar de celular, e está pensando em optar por um celular importado? A popularização das vantagens do e-commerce e dos marketplaces no Brasil facilitaram bastante o processo de vendas de aparelhos que são fabricados e comercializados em outros países.

A grande vantagem, na grande maioria dos casos, é que o preço normalmente é mais baixo, pois eles não sofrem a incidência de tributação do mercado brasileiro.

Porém, é necessário cuidado e cautela antes de decidir por um celular importado, seja ele dos Estados Unidos, da China ou de qualquer outro país. Para que você consiga entender os riscos que estão associados nessa operação, separamos algumas dicas importantes. Confira a seguir.

Celular importado

A TIM possui aparelhos com o valor parcelado com o plano! Veja mais em https://maistim.com.br!

Você qual a diferença entre os aparelhos nacionais e os importados?

Primeiramente, é necessário salientar que alguns aparelhos que são comercializados no Brasil, de forma oficial, são importados, no sentido real da palavra. Porém, como neste artigo estamos falando sobre “celular importado”, daqueles que são comprados fora do Brasil.

Podemos considerar como um celular nacional, aqueles aparelhos que passam pelas exigências descritas em Lei, por parte do Governo Federal. E ainda sofrem ação dos impostos nacionais aplicáveis a tal prática, para que possam ser comercializados em solo nacional. Essa é a principal diferença, entre um celular importado e um celular nacional.

Dicas para comprar celular importado

1. Pesquise seu aparelho

Pode parecer óbvio, mas a realidade é mais difícil do que você imagina. Para começar, pode ser difícil obter analisar fontes confiáveis ​​para muitos aparelhos, especialmente os de empresas menos conhecidas, como Doogee, Elephone e Cubot.

Defina um orçamento para si mesmo, para que fique mais fácil para limitar a sua busca. Elabore uma lista com, no máximo, 5 modelos, que são mais interessantes para você.

2. Conexão com a Internet 4G

Todo mundo quer uma Internet super rápida no smartphone, portanto, uma coisa importante a verificar é se os telefones que você procura suportam as bandas LTE corretas para o seu país.

É importante verificar se existe compatibilidade com as tecnologias de rede existentes em solo nacional. Talvez esse seja o cuidado mais importante, pois ninguém quer comprar um celular importado que não consiga utilizar a Internet.

Por não existir um padrão no mundo para o 4G LTE, as bandas sofrem variações de acordo com cada país. E por isso, algumas empresas fabricam apenas produtos para um determinado tipo de rede.

3. Evite os problemas de atualização

Não se esqueça de analisar a fabricante do modelo desejado, ou que está presente na sua lista, para entender como as atualizações acontecem. Veja a Xiaomi, por exemplo, todos os telefones da empresa vêm executando o MIUI, uma aparência proprietária do Android.

A Xiaomi atualiza regularmente seu software, trazendo novas versões do Android para os clientes a uma velocidade relativamente decente (embora observe que seus telefones não vêm com os aplicativos do Google ou a Play Store instalada, você precisará colocá-los no seu telefone).

No entanto, a política de atualização da Xiaomi é a exceção e não a regra, portanto, se você planeja manter o aparelho por um longo período, procure um fabricante com uma reputação estabelecida de suporte à atualização de software, caso contrário, o primeiro bug encontrado poderá continuar indefinidamente.

Celular importado

4. Suporte pós-venda

Há outra coisa importante a ter em mente antes de comprar um celular importado: O suporte pós-venda. Se você tiver problemas com seu novo aparelho, é importante que o fabricante tenha representação no Brasil, para conseguir solucionar seu problema.

Como algumas empresas têm uma presença limitada no Ocidente (e, em alguns casos, nenhuma presença), pode ser difícil obter peças e conhecimentos, se for necessário um reparo, embora a situação melhore à medida que os fabricantes chineses se estabeleçam.

Por isso, verifique o suporte antes de realizar a compra, pesquise por estabelecimentos que trabalhem com o suporte, representantes entre outros, que possam ajudar, caso você precise de algum auxílio. Até mesmo por questões de trocas de peças, como telas, que é muito comum quebrar, devido às quedas.

5. ROM grátis

Devido a restrições de firewall, principalmente na China, alguns telefones chineses vêm sem o conjunto de aplicativos do Google instalado. Esses aparelhos geralmente executam um pacote de software personalizado (‘ROM’) sobreposto na plataforma principal do Android.

Isso não significa necessariamente que você estará com problemas, pois você pode obter as ofertas do Google com uma ROM internacional, com suporte para inglês e Google Play.

Muitos fornecedores terão a opção de enviar com uma ROM internacional, mas cuidado com isso, pois alguns dispositivos podem vir pré-carregados com malware.

Escolha um telefone com um carregador de inicialização que possa ser desbloqueado e, de preferência, também com um slot microSD, e verifique se há uma ROM internacional disponível.

Em seguida, você pode atualizar a ROM manualmente para o telefone, menos qualquer malware potencialmente desagradável ou aplicativos adicionais desnecessários.

6. Taxas alfandegárias

Ao comprar qualquer celular importado é possível cobrança de taxas alfandegárias. O envio de um dispositivo de dentro do seu país de origem evitará essa situação, mas isso nem sempre é uma opção.

Frequentemente, um dispositivo enviado da China leva várias semanas para chegar e, quando isso ocorre, às vezes é aplicado um custo adicional, proporcional ao custo do dispositivo, potencialmente até 20%.

Tome cuidado e considere essa despesa extra em potencial ao entregar os produtos – um telefone que parece barato pode rapidamente subir rapidamente de preço, negando qualquer vantagem de custo.

Published by